Res sacra miser

“Coisa sagrada é  o infeliz”, diria Sêneca com a sentença do título do presente texto, referindo-se à comiseração que devemos ter pela desgraça alheia.

Tenho recorrido a latinismos desse tipo que, embora empregados em contextos muito distantes no tempo, mantêm-se atuais porque, em essência, o homem sempre almeja a felicidade neste mundo repleto de conflitos e de contradições. E, como diria o filósofo francês Gaston Bachelard: “Para sermos felizes, precisamos pensar na felicidade dos outros”.

Diante de tantos infortúnios que acontecem no cotidiano das pessoas. As vítimas de todas as formas de violência necessitam da nossa compaixão, em especial, aqueles que perdem seus filhos para o mundo das drogas, para a brutalidade do trânsito, para as promiscuidades das ruas.

Igualmente, a todos os familiares das vítimas da tragédia da boate Kiss, que passarão outro Natal sem a presença física dos seus entes queridos, desejamos expressar, mais uma vez, nossos sentimentos de solidariedade e de conforto.

Merecem, também, nossa solidariedade aqueles que enfrentam todas as formas de exclusão, causas de tantas mazelas sociais: a falta de acesso ao trabalho, ao alimento, à saúde, à educação, à segurança, à justiça, a uma vida diga de um ser humano. O presente Século XXI é pródigo na produção de riquezas, mas excessivamente “econômico” e injusto na sua distribuição.

Finalmente, nossa solidariedade a todos os discriminados que sofrem por causa da raça,  da religião, do sexo e da condição social. Àqueles que são também objetos de injustiças, calúnias e perseguições. Por isso, rogamos que não lhes faltem nunca o amor, a  compreensão e o acolhimento em nossos corações.

É lindo constatarmos o progresso científico e tecnológico da humanidade. Embora as conquistas espaciais, exploração do Universo, tempo em que se desvendam e manipulam os segredos da própria vida no Planeta, com que lentidão caminha a humanidade para uma convivência solidária e pacífica entre os seus semelhantes.

Que essas palavras sirvam de alento para os que sofrem, renovando-lhes a esperança de um mundo melhor e mais fraterno. Somente assim seremos verdadeiramente felizes, como Cristo – muito mais do que Sêneca – ensinou-nos com toda a sua sabedoria divina.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: