Cadeados dp amor

Os milhares de cadeados do amor retirados da ponte sobre o rio Sena, em Paris, é uma prática muito comum dos amantes apaixonados que querem expressar seu amor eterno. Fechava-se o cadeado, jogava-se a chave no rio e pronto.

Em Cachoeira do Sul, lá na vila, também houve uma história de amor envolvendo o uso de um cadeado. O Tibúrcio era pedreiro e tinha que sair cedo para o trabalho e deixar em casa sua amada, Emerenciana, uma mulatinha bem fornida e enquartada.

Emerenciana morava bem, a casa era segura, protegida por muros altos e cerca elétrica. O diacho era que a mulher gostava de receber visitas e aquilo incomodava o Tibúrcio.

O pobre homem já andava cabisbaixo sem saber o que fazer, até que teve uma idéia: foi a Casa  “Augusto Wilhelm” e comprou o maior cadeado da loja, daqueles de trancar portão de hospício.

Na manhã seguinte, bem cedinho, o Tibúrcio saiu para o trabalho e impediu aquele trottoir em sua casa, trancando a entrada com o tal cadeado grande, .,cadeado do amor exclusivo (eterno – não sei).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: