E agora, José?

Com certeza, Maria sempre foi uma jovem santa, casta e separada. Era moralmente pura, fiel e temente a Deus. Contudo, como qualquer outra pessoa da humanidade, Maria precisava do Salvador. Isso, ela mesma confessa com seus lábios dizendo: A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador – Lc 1.46-47. Somente um pecador convicto declara que Deus é seu Salvador. Isso quer dizer que Maria, tanto quanto nós, sentia a necessidade de salvação, o que desmente a doutrina que afirma ser Maria co-redentora.

Dizem alguns teólogos católicos que o sangue de Maria tem o mesmo valor que o sangue de Cristo. Isto é ridículo, absurdo e falso. O sangue de Maria era tão contaminado pelo pecado original quanto o de qualquer outro. Ela também fazia parte da descendência de Adão, e, portanto, pertencia a raça caída tanto quanto qualquer um de nós. (Solascriptura)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: