Palavrões

 

Num dia desses, eu ouvia um cidadão que participa de debates  no rádio e na televisão . Ele confessava estar escandalizado com o grande número de palavrões postados nas redes sociais.

Ora, se tudo é cultura, as palavras consideradas de baixo calão fazem parte disso e até se encontram registradas nos dicionários.

A ruptura entre o Estado e a Igreja ocorreu  com a Revolução Francesa, quando a sociedade, na época, era considerada falocrática. Em conseqüência, estudos indicam que a língua francesa é rica em expressões que ofendem a honra da mulher.

No curso de Mestrado, eu tive uma colega que pretendia defender dissertação sobre o emprego dessas palavras consideradas tabus em português.

Não conheci o projeto dela, que talvez abordasse todos os níveis de linguagem.No emprego da crase, a expressão Vai à merda é um excelente exemplo.

Nós, gaúchos, guascas criados nas lides do campo, às vezes, deixamos escapar palavrões que saem

porteira afora dando manotaços qual um garanhão xucro.

Quando o sujeito aperta um ovo no lombilho do cavalo, isso é inevitável.

Desculpem a nossa grossura.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: